Avelino Meneses lamenta que, em matéria de desporto, o Governo da República não assuma todas as suas responsabilidades para com os Açores

Avelino-Menezes-Educação-DEsproto-Republica-Apoio

O Secretário Regional da Educação e Cultura, Avelino Meneses, lamentou sábado, na ilha Terceira, que “o Governo da República não assuma todas as suas responsabilidades”, em matéria de desporto, para com os Açores. 

“Pena é que o Governo da República não assuma todas as suas responsabilidades, evidenciando desrespeito pela Lei de Bases da Atividade Física e Desportiva, ao não cumprir o princípio da continuidade territorial, o que impede que equipas do continente se desloquem aos Açores”, afirmou. 

Falando na cerimónia de inauguração do pavilhão desportivo de Santa Bárbara, no concelho de Angra do Heroísmo, o Secretário Regional especificou que o não cumprimento da lei “se traduz na subtração de competitividade aos campeonatos e em falseamento da verdade desportiva”. 

Apesar disto, Avelino Meneses manifestou a convicção de que “está garantido para o desporto açoriano um futuro auspicioso”, por um lado, porque os escalões de formação “correspondem a mais de três quartos do total de atletas federados” e, por outro, porque “a participação feminina duplicou desde 1995”. 

Os Açores, em matéria de desporto, são “um bom exemplo”, referiu o governante açoriano, adiantando que, em 2011, Portugal registava uma taxa de participação desportiva absoluta de quase 5%,enquanto nos Açores, na mesma altura, essa taxa se situava nos 9,4% e na Madeira nos 6%. 

O Secretário Regional evidenciou, ainda, que “nos Açores, o desporto é de todos é para todos, por isso o desporto adaptado praticado por portadores de deficiência, numa única década, passou de 28 praticantes, em 2002, para 928 em 2013”. 

O acréscimo da atividade desportiva deve-se também ao “investimento vultuoso” que o executivo açoriano tem vindo a realizar por todas as ilhas. “Em 1995, esse investimento pouco ultrapassava os 250 mil euros, situando-se em 2014 em mais de 1,5 milhões de euros”, adiantou. 

Por tudo isto, concluiu Avelino  Meneses, “é de supor que, na próxima década, haja atletas dos Açores a disputar entradas em Jogos Olímpicos ou Paraolímpicos”. 

Com a construção do pavilhão desportivo de Santa Bárbara, cujo investimento ultrapassou os 827 mil euros, o Governo pretendeu equilibrar a resposta às necessidades de utilização de instalações desportivas na Ilha Terceira.

DL/GaCS

Categorias: Educação

Deixe o seu comentário