Rede de Autarquias participativas lança prémio “Eu participo sem sair de casa”

Overview

Enquadrada na presente conjuntura pandémica e com o objetivo principal de reconhecer as inúmeras iniciativas de solidariedade e participação cívica, a Rede de Autarquias Participativas (RAP), da qual pertence a Câmara Municipal de Lagoa, lança uma iniciativa a nível nacional intitulada “Eu Participo – Sem Sair de Casa”, dirigida a jovens dos 14 aos 30 anos. A plataforma visa a mobilização da comunidade jovem para uma forma diferente de participação, no atual contexto de confinamento, para iniciativas de cidadania ativa que ajudem a prevenir a Covid-19.

A participação é gratuita e simplificada, sendo apenas necessário apresentar iniciativas que tenham, comprovadamente, sido desenvolvidas durante o período de emergência e recolhimento social. Para o efeito basta proceder ao preenchimento de formulário próprio disponível em https://www.oficina.org.pt/premio-eu-participo.html.  A data limite para a receção de candidaturas é o dia 15 de maio de 2020.

A avaliação das candidaturas ficará a cargo da Secretaria Técnica da Rede de Autarquias Participativas, com a avaliação a incidir em critérios como a pertinência e a adequação da iniciativa, o carácter inovador, o papel assumido pelo(s) jovens, os meios mobilizados, a população a que se destina a iniciativa e os resultados alcançados.

Para além de prémio monetário para o vencedor, serão entregues brindes dos municípios que compõem a rede para os três primeiros classificados. A apresentação dos vencedores decorrerá numa cerimónia pública, enquadrada na 5ª edição do Prémio de Boas Práticas de Participação.

A Câmara Municipal de Lagoa, membro da direção nacional da RAP, reconhece, através da vereadora com o pelouro da Educação e Cultura, Albertina Oliveira, que esta é uma iniciativa importante e que pretende enaltecer a participação cívica da nossa comunidade que, atualmente, merece ser reconhecida e valorizada. Compete à edilidade dar a possibilidade do envolvimento dos jovens na sua comunidade, desde os gestos mais simples, como manter o contacto com familiares, recorrendo às novas tecnologias que, muitas vezes, não são dominadas pelos restantes elementos do agregado familiar, como também apoiar quem, sendo das suas relações pessoais, passa por dificuldades relacionadas com a escassez de bens.

DL/CML

Categorias: Educação