EBI de Água de Pau: Biblioteca escolar dedica o mês de novembro à criatividade

Criar é difícil e não surge do nada. É uma competência que requer treino e muitos erros para ser desenvolvida e nem os grandes génios fazem obras-primas à primeira. Por isso, no Cantinho da Criatividade da biblioteca escolar de Água de Pau, não faltam atividades diversificadas que trabalham a imaginação, o sentido estético e a resolução de problemas por temáticas, como a decoração de mandalas, a criação de títulos, a construção de decorações de Natal para a BE ou os desafios de Tangram.

Criado para colmatar a falta de ocupação nos tempos sem aulas, este espaço é hoje muito procurado, também nas horas de almoço e intervalos, por alunos de todos os ciclos da escola, que veem no Cantinho uma oportunidade de aprender de forma divertida e conhecer as obras trabalhadas pela equipa da BE.

O segredo deste sucesso reside, na opinião da coordenadora da biblioteca, na enorme dedicação e empenho das assistentes operacionais, Beatriz Melo e Helena Costa, que dinamizam este espaço de forma criativa e acolhedora, conquistando muitos leitores para esta segunda casa, que é a da leitura, da aprendizagem e da partilha.

A maior flor do mundo chegou à BE

Durante o mês de novembro, as turmas do 4.º ano embarcaram numa fantástica viagem com uma grande missão: descobrir a maior flor do mundo. Percorrendo, através do mapa, desertos e florestas tropicais, conheceram algumas das flores mais exóticas do planeta e encontraram aquela que é tida como a maior flor do mundo, também chamada de “Flor-monstro”, através de alguns enigmas e pesquisas na internet.

Este foi apenas o ponto de partida para outros desafios, que serviram de combustível para a continuação da viagem de exploração da obra de José Saramago do Plano Nacional de Leitura, A Maior Flor do Mundo. Chegados ao fim do jogo e da sua missão, todos cantaram uma música alusiva ao conto e participaram numa oficina de elaboração de flores de papel com a turma dos estagiários da BE, o 5.º/6.º E. Os trabalhos elaborados resultaram num quadro que decorará a biblioteca e lembrará a todos o valor afetivo das flores, que, mesmo pequenas, podem ser as maiores do mundo para cada um de nós.

A Equipa da BE
(Artigo publicado na edição impressa de dezembro de 2019)

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*