Escola Secundária de Lagoa assinalou o seu 18º aniversário

A Escola Secundária de Lagoa (ESL) assinalou, recentemente, o seu 18º aniversário, data comemorada com a realização de diversas atividades na escola, assim como a sessão solene onde foram entregues os diplomas de mérito aos melhores alunos, num total de 55.

Falando na sessão solene, o presidente do Conselho Executivo destacou o percurso feito por esta escola desde 2001, altura em que abriu as suas portas, sobretudo pelo percurso desenvolvido, pelo processo de crescimento e pelas transformações verificadas.

Jorge Botelho realçou a fase de crescimento, e do incremento das novas tecnologias ao ensino, onde a ESL esteve sempre um passo à frente na utilização dos recursos tecnológicos.

Segundo recordou, foram muitas as portas que se abriram com a utilização e programas diversos ao serviço da promoção da qualidade do ensino. “Foram tempos de muita formação, de muita descoberta, de muita entrega, porque se estava a descobrir um mundo novo, uma nova forma de estar em sala de aula, com muitos recursos interativos, multimédia, …um grande salto”, realçou.

Mas o docente lembra que a ESL foi sempre uma escola muita irrequieta e muito ocupada, com o incremente de algumas atividades em prol da ciência: projetos de investigação, participação sucessiva em concursos nacionais e internacionais, como o caso da “Mostra Nacional de Jovens Cientistas” ou o “EUCYS European Union Contest for Young Scientists”.

Jorge Botelho lembra igualmente a grande diversidade de atividades dentro da escola, como o caso o do teatro, do desporto entre outros. Contudo, o docente recorda que, apesar de tanta atividade, os números do sucesso educativo, do aproveitamento eram negros e andavam na casa dos dois dígitos quando se falava em taxas de retenção, e a indisciplina assumia números preocupantes e onde era necessário intervir.

O presidente do Conselho Executivo da ESL lembra que a comunidade escolar arregaçou mangas e foram muitas as iniciativas desenvolvidas que conseguiram reverter a situação e colocar a escola no caminho certo, tendo apresentado os números *(ver quadro) do sucesso escolar nos últimos anos.

Segundo Jorge Botelho, os resultados espelham o muito trabalho contínuo, persistente, mas ainda não podem satisfazer e querem sempre melhorar.

O docente diz que, na entrada da idade adulta, é pretendido que a escola continue no seu caminho de consolidação dos resultados e para que isso possa acontecer, “todos somos chamados à frente”, disse, recordando que a escola não é só os alunos, não é só os professores, não é só o pessoal não docente, “a escola somos todos nós: alunos, professores, pessoal auxiliar, encarregados de educação, entidades colaborantes”.

Para o presidente do Conselho Executivo da ESL, o sucesso que se pretende a cada momento é responsável pela construção das novas gerações, onde se pretende que cada aluno seja habilitado para o desenvolvimento do seu projeto futuro.

Jorge Botelho lembra que, na sua idade adulta, a escola viva também novas mudanças.

Falando à margem da sessão, o professor Jorge Botelho destaca o aniversário como um sinal de crescimento, e novos desafios esperam.

Um deles é a manutenção das metas de aproveitamento fazer com que a retenção seja uma exceção e que os alunos possam fazer o seu percurso com boas notas.

Adaptando também ao que vai mudando na educação regional, o caso da flexibilidade curricular, a cidadania e o desenvolvimento, a nova portaria de avaliação, “há que constantemente vestir a pele de camaleão e adaptar às mudanças”.

Jorge Botelho entende que há que explorar cada vez mais, duma forma pedagógica, o uso do telemóvel para fins pedagógicos, uma ferramenta que pode ser muito usada em salas de aula, se bem conduzida e tem muitas potencialidades.

Sobre os prémios atribuídos, o mérito cívico é atribuído aos alunos que, independentemente das suas notas, se distinguem por estarem sempre prontos para ajudar os outros, por terem disciplina, por ter sentido de responsabilidade, de disciplina, da atitude que tem para com a escola.

O mérito académico são os melhores alunos de cada ciclo, com um conjunto de regras próprias, de um certo número de níveis cinco e as menções de Bom e Muito Bom no 3º ciclo, e no secundário são todos os alunos com média igual ou superior a 16 valores.

Os prémios a atribuir no próximo ano terão algumas alterações, nomeadamente o prémio que é atribuído pela Câmara Municipal de Lagoa, este premio tem novas regras, será o melhor aluno do ciclo, ou seja, todos os alunos em fase terminal de ciclo, 4º, 6º, 9º  e 12º ano recebem o prémio.

Durante esta sessão, os alunos João Dias Rodrigues, do 3º ciclo, e Diogo Sousa, do 11º ano, foram distinguidos como os melhores alunos, com a atribuição de um prémio monetário oferecido pela Câmara Municipal de Lagoa, na expetativa de incentivar o percurso académico com brio e sucesso dos mesmos e fazer deste reconhecimento um exemplo motivador para os outros estudantes.

Falando nesta sessão solene, a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa aproveitou, a ocasião, para refletir sobre o lema daquele estabelecimento de ensino, nomeadamente sobre as palavras: “sentir, pensar, inspirar e crescer”. Desse modo, afirmou que “sentir a Lagoa é estar atento a tudo aquilo que está a acontecer à volta desta escola”, mais especificamente, a futura construção do hotel Hilton; o Hospital Internacional dos Açores; o passeio marítimo da cidade de Lagoa; o segundo edifício do parque de Ciência e Tecnologia – Nonagon, que irá trazer mais empresas de base tecnológica para o concelho.

No que diz respeito às palavras “sentir e crescer”, a autarca defende que é necessário “sentir aquilo que está a acontecer na Lagoa. Sem nos darmos conta, está a acontecer uma pequena revolução silenciosa na Lagoa. O concelho está a crescer”.

Cristina Calisto incentivou os alunos lagoenses a “pensar”, a fomentar um espírito crítico, principalmente, porque as novas oportunidades de emprego qualificado surgirão para estudantes instruídos e os mesmos poderão orientar-se, porque “há um mundo de oportunidades à espera dos mesmos”. Finalmente, no que diz respeito à palavra “inspirar”, a edil felicitou os alunos de mérito que foram reconhecidos, acrescentado que os mesmos são verdadeiros exemplos de “trabalho, empenho e dedicação”, acreditando que, o futuro da Lagoa será decidido por estes jovens estudantes.

DL
(Artigo publicado na edição impressa de dezembro de 2019

Categorias: Educação, ESL, Lagoa

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*