Centro do Apostolado da Oração de Nossa Senhora do Rosário é o mais antigo da Diocese de Angra

O Centro do Apostolado da Oração de Nossa Senhora do Rosário é, sabe-se, o mais antigo da Diocese de Angra e um dos mais antigos de Portugal, tendo sido fundado em 1867.

Esse movimento religioso do Apostolado da Oração tem, contudo, origem remota na França, onde surgiu, pela primeira vez, em 1844, tendo vindo para Portugal em 1864, e, pela primeira para os Açores, designadamente para Nossa Senhora do Rosário, em 1867. Instalada em Nossa Senhora do Rosário por iniciativa do padre Jacinto Ignacio de Souza, este natural, precisamente, da freguesia de Nossa Senhora do Rosário, na altura, ainda, o Papa era o Beato Pio IX e o Bispo de Angra, D. Frei Estevão de Jesus Maria.

Padre Jacinto Ignácio de Souza

No ano de 1828 nascia, registe-se, Jacinto Ignacio de Souza (o barbas d´alho). Celebrou Missa Nova, crê-se, em 1852. Surge na obra do padre João José Tavares – A Vila da Lagoa e o Seu Concelho – como “um dos mais ilustres e respeitáveis párocos micaelenses. Filho de Jacinto Ignácio de Sousa – natural da freguesia de São José de Ponta Delgada e cirurgião pela Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa – e de D. Maria Amália, natural da paroquial de S. Pedro de Filbadosa (diocese de Coimbra), nasceu na freguesia do Rosário desta vila a 4 de Fevereiro de 1828 e faleceu a 6 de Fevereiro de 1904.”

Acrescenta ainda que “mostrando possuir uma decidida vocação para a vida eclesiástica, recebeu do bispo D. Frei Estêvão os diferentes graus de ordem, entrando logo no exercício das funções paroquiais, primeiro como coadjutor da Matriz de Santa Cruz, e, sucessivamente, pároco em São Roque, Santa Cruz da Lagoa e vigário da freguesia do Rosário, deixando em todas estas partes marcada a sua passagem…”.

Veio para a paróquia de Nossa Senhora do Rosário em 1865. Restaurou a imagem de Santo Agostinho, que foi exposta ao culto público e a imagem de Santo Antão. A imagem do Sagrado Coração de Jesus foi adquirida no seu tempo no Rosário, no ano de 1888, na cidade do Porto, tendo sido feita pelo escultor José Soares de Oliveira. Benzeu a Ermida de Nossa Senhora das Mercês a 25 de Junho de 1893, sabe-se. Foi, igualmente, um bom organista [mandou vir, da Alemanha, inclusive, o órgão de tubos da Igreja de Nossa Senhora do Rosário] e compositor.

Para além disso, em 1867 havia a escola das Filhas de Maria, para raparigas, mantida pela associação com esse nome, instituição com sede em Ponta Delgada, e que acabou no ano de 1884. Foi essa escola criada por Jacinto Ignacio de Souza no ano de 1867. A sua frequência era de doze alunas, a quem a associação dava roupa, calçado e os utensílios indispensáveis para o uso da escola. Foi, este filho de Nossa Senhora do Rosário, benemérito daquela escola, olhando pelo futuro das alunas, quando estas completavam o tempo de escola, obtendo-lhes serviços em casas de famílias da sociedade.

“A acção do Padre Jacinto Ignacio de Sousa foi, na verdade, exemplar”, refere o padre João José Tavares.

Foi cura da Igreja Matriz de Lagoa, Santa Cruz, de 6 de Março de 1859 até Fevereiro de 1862. Foi, o padre Jacinto, sepultado no cemitério da Lagoa.

O Centro do Apostolado da Oração é constituído por uma Direção, composta, esta, por uma presidente [Maria do Céu Tavares Medeiros], um secretário [D. Raquel Simas Cardoso] e por um tesoureiro [Maria do Carmo Martins Correia], bem como por um director espiritual, que é o pároco da paróquia em questão [Nelson Vieira, em Nossa Senhora do Rosário]. Reúnem uma vez por mês, na quinta-feira antes da primeira sexta-feira de cada mês, que é a sexta-feira própria do Apostolado da Oração.

Nessa sexta-feira, igualmente, Nossa Senhor é exposto às 17h00, com as zeladoras do Apostolado das Oração a orientarem a dinâmica em torno de Jesus, seguindo-se, depois, a Missa.

Ainda nas reuniões, com efeito, recebem, os membros, uma revista, O Mensageiro, onde surgem, aí, as intenções todas que durante aqueles mês devem ser rezadas – o Apostolado é vocacionado mais para a oração, como o próprio nome indica. Nas reuniões, ainda, existem as chamadas atas, que são lidas no início de cada reunião, e cujo acumulamento no arquivo paroquial permite entender que a ação deste Centro tem sido ininterrupta desde a sua fundação, em 1867. Há, ainda, também, um manual, através do qual se guiam os membros de cada Centro do Apostolado da Oração, nas reuniões mensais.

Constituído por dezassete zeladoras – catorze do sexo feminino e três do sexo masculino -, este Apostolado pode ter agora, registe-se, outro nome: Rede Mundial da Oração do Papa, pelo qual pode passar a ser chamado desde 2014. Com cerca de 400 associados, cada qual com as suas ruas próprias, cada um desses recebe as intenções do Apostolado da Oração, para cada mês, distribuídas, em conformidade, por essas mesmas ruas.

O jornal Diário da Lagoa esteve à conversa com a atual presidente do Centro do Apostolado da Oração de Nossa Senhora do Rosário, Maria do Céu Tavares Medeiros, que revela que, pelos 150 anos daquele Centro, comemorados em 2007, fez-se “um levantamento histórico”, sempre difícil e moroso.

“Contactei tanta gente, as igrejas, contactei tanto lugar”, conta-nos Maria do Céu, ao jornal Diário da Lagoa, acrescentando, ainda, que, aquando da comemoração daquela efeméride, foi “cunhada uma medalha, com a comemoração dos 150 anos, foi feito um guião em que tem Sagrado Coração de Jesus e 150 anos, que é o que sai quando é pela festa do Sagrado Coração de Jesus”.

“Depois preparámos uma Missa Solene, na qual o Orfeão de Nossa Senhora do Rosário participou. O padre Silvano Vasconcelos foi incansável, ele ajudou muito”, complementando, Maria do Céu Tavares que “o Apostolado da Oração é um serviço à Igreja e à Humanidade, procurando que todos rezem por todos, fazendo, assim, uma grande família de orantes”, termina.

DL/JTO
(Artigo publicado na edição impressa de novembro de 2019)

Categorias: Lagoa, Local, Religião

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*