Empreendedorismo nos Açores continua com grande incremento e associado à criação de novas empresas

Segundo o Diretor Regional de Apoio ao Investimento e à Competitividade, as condições que os Açores oferecem em termos de atratividade de investimento e de apoio ao empreendedorismo têm, cada vez mais, afirmado o arquipélago no panorama regional e nacional.

Ricardo Medeiros, que falava durante uma visita de acompanhamento a um projeto candidatado ao sistema de incentivos para a competitividade empresarial Competir+, salientou que “esta política de proximidade também tem sido bem vista pelos promotores, uma vez que reconhecem que existe um real acompanhamento do seu processo e, desta forma, algum entrave detetado é mais rapidamente ultrapassado”.

O Diretor Regional referiu que se trata de um projeto apresentado por jovens empreendedores, neste caso ao subsistema do Competir+ designado por ‘Empreendedorismo Qualificado e Criativo’, mais conhecido por ‘Empreende Jovem’, que visa apoiar projetos de criação de empresas por jovens entre os 18 e os 35 anos, sendo que, mediante determinadas condições, a idade limite máxima poderá estender-se até aos 45 anos.

Em termos de candidaturas a este subsistema, Ricardo Medeiros adiantou que já foram recebidos 168 projetos, que representam um investimento de mais de 32 milhões de euros e uma criação potencial de 430 postos de trabalho na Região.

A empresa hoje visitada, detida por jovens empreendedores açorianos, tem como objetivo a exploração de um imóvel para fins turísticos, na vertente de hostel, recuperando um imóvel da cidade de Ponta Delgada que se encontrava bastante degradado, sendo este um objetivo desta medida que, pelo menos nesta vertente, segundo Ricardo Medeiros, tem vindo a ser um êxito.

O Diretor Regional afirmou ainda que, segundo os dados publicados pela consultora D&B no seu relatório mensal Barómetro INFORMA, sobre a evolução das empresas em Portugal, a média de criação de empresas nos últimos 12 meses e até julho de 2019 indica que, nos Açores, por cada empresa encerrada são criadas três novas empresas (3.1), enquanto, em termos nacionais, este rácio é de 2.7 e na Madeira é de 2.

Refira-se ainda que o ex-distrito de Angra do Heroísmo continua a ser dos melhores do país a este nível, com o segundo melhor rácio a nível nacional.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*