Câmara Municipal de Ponta Delgada apoia 23 instituições sociais do concelho

A Câmara Municipal de Ponta Delgada apoia, através de subsídio ou por protocolo de desenvolvimento, um total de 23 instituições sociais do concelho, atribuindo um valor global superior a 123.600 euros.

Em nota de imprensa, aquela autarquia informa que os mesmos apoios têm por base o regulamento municipal criado para o efeito e destinam-se a contribuir para a prossecução dos objetivos e funcionamento das IPSS (instituições particulares de solidariedade social) que trabalham no concelho de Ponta Delgada.

A assinatura dos documentos que visam a atribuição dos referidos apoios por parte do Município aconteceu no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

José Manuel Bolieiro que, na assinatura dos protocolos, se fez acompanhar pela Vereadora do Desenvolvimento Social, Maria José Lemos Duarte, aproveitou a oportunidade para destacar, uma vez mais, o importante e imprescindível papel das instituições sociais e dos seus dirigentes em prol da solidariedade e da ajuda aos mais carenciados.

Recordando que a Câmara de Ponta Delgada também ajuda diretamente muitas famílias carenciadas do concelho, o Presidente sublinhou que os apoios acima referidos são constantes e, por isso mesmo, acabam por contribuir para que as instituições sociais, que são parceiras da Autarquia, combatem a indiferença e as desigualdades.

Essa ajuda financeira do Município visa promover o bem-estar social, estabelecendo condições que garantem um apoio aos estratos sociais mais desfavorecidos, diretamente ou em colaboração com instituições particulares de solidariedade social.

Ainda segundo José Manuel Bolieiro, as instituições sociais devem continuar o seu meritório trabalho, em parceria com a Câmara Municipal de Ponta Delgada, mas também com outras entidades públicas, promovendo atividades e projetos que marquem a diferença na vida dos indivíduos, das famílias e da comunidade.

Refira-se que, podemos ler na mesma nota a que tivemos acesso, as IPSS apoiadas por subsídio (cada uma recebe um valor máximo de 2.500 euros, o que perfaz um total de 50 mil euros para as 20 abrangidas) são ACAPO (Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal – Delegação dos Açores), Alternativa (Associação Contra as Dependências), Associação Alzheimer Açores, Associação Atlântica de Doentes Machado-Joseph, Associação de Paralisia Cerebral de São Miguel, Associação de Surdos da Ilha de São Miguel, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo, Casa do Povo de Fenais da Luz, Centro de Apoio à Mulher de Ponta Delgada, Centro de Terapia Familiar e Intervenção Sistémica, Centro Social e Paroquial da Fajã de Baixo, Centro Social e Paroquial de São José, Centro Social e Paroquial de São Roque, Centro Social e Paroquial Nossa Senhora das Neves, Coopdelga, Instituto Bom Pastor – Lar Filomena da Encarnação, Liga dos Combatentes-Núcleo de Ponta Delgada, Novo Dia, Solidaried’arte- Associação de Integração pela Arte e Cultura e UMAR-Associação para a Igualdade das Mulheres.

Quanto aos apoios atribuídos pela autarquia no âmbito do Protocolo de Desenvolvimento, estes abrangem seis IPSS, com uma verba global de 73.610 euros.

São elas a APAV-Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (25.000 euros), Alternativa (3.800 euros), Centro Paroquial de Bem-Estar Social de São José (6.604 euros), Centro Social e Cultural dos Fenais da Luz (5.000 euros), Instituto Margarida de Chaves (20.000 euros) e UMAR (13.206 euros).

DL/CMPD

Categorias: Ponta Delgada, Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*