Cortejo etnográfico leva milhares de pessoas à Avenida Infante D. Henrique com tradições e recriações históricas

O Cortejo Etnográfico, inserido das XVI Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, percorreu a Avenida Infante D. Henrique durante quatro horas perante milhares de pessoas de pessoas e trouxe as tradições das 24 freguesias do concelho, recriações históricas e inovação na decoração dos carros alegóricos.

No Cortejo, participou uma delegação de Alenquer, tendo as freguesias de Ponta Delgada aproveitado a oportunidade para recriarem tradições populares e alusivas ao Culto do Divino, enquanto outras recriaram o “milagre das rosas” da Rainha Santa Isabel de Portugal, que deu origem às festividades em honra do Espírito Santo, a Batalha do Cascalho e os tempos de outrora, onde predominava a ligação intrínseca à terra e ao mar.

O Presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, o Presidente da Câmara de Alenquer, Pedro Folgado, e outros membros dos dois executivos, além do Presidente da Comissão das Grandes Festas da Nova Inglaterra, o emigrante micaelense João Medeiros, juntaram-se às milhares de pessoas que se perfilaram pela principal avenida de Ponta Delgada para assistirem a este cortejo, entre locais,  emigrantes e turistas.

Um dado curioso a ter em conta foi o facto de várias Folias do Espírito Santo, além das já habituais referências ao Presidente da Câmara de Ponta Delgada, terem cantado quadras alusivas a Alenquer e ao autarca desta cidade do Distrito de Lisboa.

O cortejo, como habitualmente organizado pelas Juntas e Mordomias das 24 freguesias concelho de Ponta Delgada, integrou 26 carros de bois, 58 carros alegóricos, 19 folias e quatro agrupamentos musicais.

Como já foi anteriormente noticiado, o Cortejo Etnográfico das 24 freguesias do concelho ficou ordenado, este ano, da seguinte forma: comitiva de Alenquer e freguesias de Pilar da Bretanha, Santo António, São José, Santa Clara, Santa Bárbara, Livramento, Mosteiros, Arrifes, São Sebastião, São Vicente, Sete Cidades, Ajuda da Bretanha, Ginetes, Capelas, Fenais da Luz, Fajã de Baixo, São Roque, Fajã de Cima,  Covoada, Feteiras, Candelária, São Pedro, Remédios e Relva.

O Terço Cantado realizou-se no Salão Nobre, coordenado por um grupo de voluntários do Movimento Legião de Maria.

A finalizar a noite de sábado, o já habitual arraial, no palco da Praça do Município e no coreto das Portas da Cidade, com as atuações do Grupo de Violas da Relva e do Grupo de Folias do Espírito Santo da Covoada e com o concerto da Tuna de Mouronho, de Coimbra, e do grupo “Brumas da Terra”, dos Arrifes.

DL/CMPD

Categorias: Ponta Delgada, Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*