Lagoa deverá continuar no calendário do Campeonato Nacional de Canoagem de Mar

Foi nos Açores que o Campeonato Nacional de Canoagem de Mar regressou à água, com a realização da 3ª etapa designada de Lagoa Ocean Race 2019. Realizada a 25 de maio, a prova foi organizada pela Federação Portuguesa de Canoagem, pela Associação Regional de Canoagem dos Açores e pelo Clube Náutico de Lagoa.

Nesta etapa, em plena costa sul da ilha de São Miguel, o calendário previu a disputa das categorias de juniores, seniores e veteranos A, B, C (SS1 e SS2, masculinos e femininos) e absolutos (OC1, masculinos e femininos, e SS2, mistos).

A 3ª etapa do Campeonato Nacional de Canoagem de Mar, que teve o deslumbrante cenário natural do arquipélago dos Açores como palco, mais concretamente a costa entre Água de Pau e Cidade de Lagoa, reuniu uma centena de atletas em representação de 25 emblemas de Norte a Sul de Portugal Continental, dos Açores e da Madeira.

Rui Dias, presidente do Clube Náutico de Lagoa (CNL), ao Jornal Diário da Lagoa, recordou o sucesso alcançado na edição de 2018, destacando que as expetativas eram elevadas para a prova deste ano, depois dos elogios que a prova foi alvo na sua primeira realização na região.

Este ano a organização alterou o ponto de chegada da prova, para o Portinho de São Pedro, junto à sede do Clube Náutico de Lagoa, um local com maior visibilidade, com cerca de 5km de costa visível. O presidente do CNL admitiu que o espaço também é maior para que o público pudesse assistir com melhor visibilidade.

Recorde-se que em 2018 a chegada aconteceu no Porto dos Carneiros, sendo que, o presidente do Clube Náutico de Lagoa considerou que a alteração foi uma decisão correta, onde acabou por seu mais fácil para a própria logística. “Foi uma aposta ganha e será para continuar até porque, além das facilidades criadas na logística da prova, foi possível criar um ambiente de confraternização entre todos, antes e depois da prova em todo este espaço da sede social do clube”.

A edição deste ano voltou a ter balanço positivo, até tendo em conta o próprio feedback recebido dos vários clubes participantes. “Apesar do estado do tempo, com a falta de vento e poucas ondas, foi muito positivo, tendo em conta a expetativa”, realçou.

Rui Dias recordou igualmente o acréscimo do número de atletas participantes, de 76 em 2018 para 101 em 2019, significando que a prova está aumentar no número de inscritos, o que deixa satisfação.

Para 2020 a prova será para regressar, sendo que o Clube Náutico vai avançar com uma nova candidatura junto da Federação de Canoagem e, tendo em conta como tem decorrido as duas edições, a prova será quase dada como certa no próximo ano.

Por seu turno, Eliseu Reis da Associação Regional de Canoagem dos Açores (ARCA) fez igualmente um balanço positivo de mais esta etapa realizada na Lagoa, onde destacou também o aumento do número de participantes.

Sobre o futuro, Eliseu Reis recorda que os Açores são nove ilhas, e existe canoagem em três dessas ilhas, sendo que, é intenção da ARCA levar esta prova do Nacional, pelo menos, a mais uma ilha num futuro próximo, mas deixando a promessa de voltar à Lagoa.

Um regresso que é quase garantido, tendo em conta as declarações do próprio vice presidente da Federação Nacional de canoagem. Ao Jornal Diário da Lagoa, João Botelho voltou a elogiar a organização de mais este evento, adjetivando-o de bem conseguido e muito bem organizado.

O dirigente nacional recordou igualmente o acréscimo do número de participantes em relação à edição do ano anterior, mostrando que a organização sabe receber e os atletas acabam por querer participar.

Ao nível de parte desportiva, João Botelho recordou que o plano de água foi inferior ao ano passado, “ainda assim os atletas conseguiram surfar, e dentro das poucas ondas, otimizaram a sua participação o que acabou de ser excelente ao nível de segurança no mar”. Uma vez mais, neste âmbito, deixou os parabéns ao Clube Náutico de Lagoa e à Associação Regional de Canoagem dos Açores.

Sobre a continuidade da prova nos Açores, o vice presidente da FPC adianta que, havendo uma candidatura da região, o mais certo é aprova regressar. “Havendo essa candidatura e tendo em conta tudo o que já se disse em relação às duas edições já realizadas, é garantido que os Açores irão receber uma nova etapa do Campeonato Nacional de Mar”, disse.

Ora, a realização de uma prova de âmbito nacional na Lagoa, é algo que é visto como muito positivo por parte da autarquia local.

Ao Jornal Diário da Lagoa, o vereador Nelson Santos, reforçou que se trata, aliás, daquilo que tem sido a aposta da autarquia, de voltar a olhar para o mar e não continuar de costas voltadas como acontecia, e neste sentido, o Clube Náutico tem tido uma postura de salutar, não se deixando ficar por menos, tendo em conta as dificuldades, e naquilo que é a aposta da autarquia, em termos da promoção da prática desportiva para todos.

Em 2018 foi deixada a promessa da autarquia em avançar com o melhoramento na rampa do Portinho São Pedro e, Nelson Santos, adiantou que a obra vai avançar em breve aproveitando, aliás, a requalificação da frente marítima, cujo contrato já foi assinado, e estando apenas à espera do visto do Tribunal de Contas para avançar. “Não tinha lógica fazermos intervenções na rampa, quando iremos fazer uma obra de fundo no melhoramento da Frente Marítima da Lagoa”, recordou.

David Fernandes foi o primeiro a contornar a meta do Lagoa Ocean Race 2019, a 3ª etapa do Campeonato Nacional de Canoagem de Mar.

O atleta do Clube Naval da Calheta (Madeira), venceu assim o escalão Sénior em SS1, tendo feito os cerca de 13 kms de prova em 00:47:59:95.

Em Sénior femininos, sem surpresas, venceu Sara Rafael, atleta que regressou aos Açores depois da sua participação em 2018. A atleta do Clube Náutico do Litoral Alentejano fez a prova em 00:59:19.0, mantendo a liderança no Nacional de Canoagem de Mar.

Destaque ainda para a vitória de Bernardo Pereira, SS1 em Júnior Masculino. O atleta do Clube Naval do Funchal fez a prova em 00:51:44.35.

Em SS1 Júnior feminino, destaque para a vitória da atleta Micaela Silvestre, do Clube náutico Litoral Alentejano, com o tempo de 01:03:37.01.

Em Veteranos A SS1 masculinos a prova ganha por Hugo Lima do Hugo Lima Clube Náutico do Fão com o tempo de 00:51:55.71, enquanto em Veteranos B SS1 masculinos venceu Carlos Cruz, do Clube de Canoagem de Setúbal, com o tempo de 00:52:52.71.

Em Veteranos A femininos, em SS1, a prova foi ganha por Maria Barros do CAL Terceira com o tempo de 01:15:40.02.

Em OC1 Absoluto masculino, venceu Rui Reis do Clube Náutico do Litoral Alentejano com o tempo de 01:13:57.81.

Em SS2, Júnior masculino, destaque para a vitória da dupla madeirense Oleksandr Bobuskyy e Luís Nóbrega do Clube Naval Calheta, com o tempo de 00:49:41.84.

Em SS2 Sénior masculino, o vencedor foi Marcos Carvalho e António Soares do CFO Odemirense, com o tempo total de 00:51:13.79.

Ainda em SS2, mas em Veterano A, vitória da dupla Fernando Encarnação e Vasco Marcos, do CF Odemirense, com o tempo de 00:51:38.03.

Em SS2 Absoluto Misto, vitória de Inês Esteves e Diogo Esteves, do CNL Alentejano, com o tempo 00:49:51.45.

Depois da Lagoa Ocean Race 2019, o calendário integra mais rondas: Milfontes (22 ou 23 de junho), Viana do Castelo/Esposende (6 de julho), oeiras (5 Outubro) e a taça de Portugal a 19 outubro.

Confira aqui o quadro completo dos resultados após a prova realizada nos Açores.

DL

Categorias: Desporto, Lagoa

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*