Açores associam-se às comemorações do Dia Internacional dos Museus e da Noite Europeia dos Museus 

Os Açores, através dos Serviços Externos da Direção Regional da Cultura, associam-se às comemorações do Dia Internacional dos Museus e da Noite Europeia dos Museus, que se celebram a 18 e 19 de maio, respetivamente, sob a temática escolhida pelo ICOM – Conselho Internacional dos Museus para as comemorações de 2019 “Os Museus como Plataformas Culturais: Museus e Cidadania”.

Neste contexto, os Museus sob a tutela da Direção Regional da Cultura juntam-se a estas comemorações através da realização de atividades que realcem o seu papel enquanto estruturas de cariz cultural, geradoras de interação com as respetivas comunidades onde se inserem.

Em São Miguel, no Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas será apresentado no sábado, dia 18, pelas 21h30, na Blackbox, e inserido nas comemorações do Dia Internacional dos Museus, com entrada livre, o espetáculo de dança “Miragem”, que resulta de uma residência artística da bailarina Carolina Rocha, em colaboração com a coreógrafa, atriz e bailarina Andresa Soares, através do projeto Want to work with, promovido pelo Serviço Educativo deste Centro de Artes. Este espetáculo será interpretado pela Associação Unojovens de Ponta Garça, com a qual Carolina Rocha trabalhou ao longo da residência artística.

Também com vista à comemoração do Dia Internacional dos Museus, o Museu da Graciosa, no sábado, entre as 15h00 e as 17h30, promove, com entrada gratuita, a realização de visitas guiadas à exposição de longa duração do núcleo-sede, intitulada “Ilha Graciosa. Memória e Identidade de um Povo”.

Por sua vez, o Museu Carlos Machado também se associa a esta comemoração, promovendo igualmente na sexta-feira, no Núcleo de Santa Bárbara, pelas 14h30, a realização de uma visita orientada à exposição Canto da Maya, realizada pela curadora, Sílvia Massa, destinada ao público em geral e de entrada livre. Cerca de meia hora mais tarde, pelas 15h00, terá lugar uma oficina de gravura, orientada pelo artista plástico Luís Brilhante.

O Museu das Flores assinala a efeméride com a realização de uma apresentação pública do projeto Base de Dados das Gentes das Flores, durante a qual será proferida uma conferência por Norberta Amorim, sua coordenadora científica, e realizado um curso de iniciação à Demografia Histórica aberto à comunidade. O evento terá lugar sexta-feira, pelas 18h30, na Escola Básica e Secundária das Flores, enquanto o curso decorrerá no mesmo local em horário pós-laboral.

No referido projeto, a investigadora recua até 1675, para fazer uma reconstituição das paróquias das Flores, em encadeamento genealógico, a partir do tratamento dos registos paroquiais que posteriormente serão enriquecidos com outras fontes complementares. Esta reconstituição está aberta à participação da diáspora e é disponibilizada no Repositório Genealógico Nacional, alojado na Casa de Sarmento, Unidade Diferenciada da Universidade do Minho. Será assim possível obter uma perspetiva do comportamento demográfico das gentes das Flores na sua interligação interna e com o mundo que as rodeia.

O Museu das Flores assinalará ainda a noite Europeia dos Museus com a realização de uma Feira do Livro com edições da Direção Regional da Cultura, que terá início no dia 21 de maio, pelas 20h00, e prosseguirá nos dias seguintes, até dia 31, entre as 10h00 e as 17h00. A iniciativa constitui mais um incentivo com vista a intensificar a curiosidade e o apreço do público pelas obras literárias de autores açorianos, estando disponíveis livros de temas variados, nomeadamente história, literatura, arte, roteiros de exposições, entre outros.

No Museu Francisco de Lacerda, por seu turno, terá lugar, também no sábado, pelas 20h30, a inauguração da exposição intitulada Cores da Terra: A Tinturaria nas Ilhas, a qual assinalará as comemorações do Dia Internacional dos Museus. Nesta exposição, que ficará patente até 31 de outubro, parte-se do conhecimento e saber que encontramos hoje, para recuperar a história do Arquipélago dos Açores, ligada à tinturaria natural e praticada desde o início do seu povoamento.

Também no Museu Francisco de Lacerda e no âmbito das comemorações do 150.º aniversário do nascimento de Francisco de Lacerda, celebrar-se-á a Noite dos Museus, através da realização de um concerto de piano e viola da terra, que decorrerá no dia 21 de maio, pelas 21h00, no auditório da EBS de Velas, com entrada livre.

Alda Regalo, pianista jorgense, juntar-se-á a Renato Bettencourt e Pieter Adriaans, tocadores de viola da terra, numa atuação dedicada a Francisco de Lacerda e à música tradicional, relacionando deste modo dois géneros musicais distintos, através do trabalho da compositora. Simultaneamente, Alda Regalo apresentará o seu trabalho discográfico, intitulado Miscelânea Musical na Simplicidade, em espaços de memória.

Simultaneamente, Museu de Angra do Heroísmo (MAH) também se associa no próximo sábado, 18 de maio, à celebração do Dia Internacional dos Museus e da Noite Europeia dos Museus. Para assinalar a ocasião, foi elaborado um programa variado de atividades, através do qual o Museu de Angra do Heroísmo que, no presente ano, comemora 70 anos de existência, 50 dos quais no Edifício de São Francisco, reafirma a sua presença na comunidade, como espaço de preservação da memória coletiva ou como lugar de cruzamento de expressões culturais tradicionais ou contemporâneas.

Pelas 19h30, terá lugar a inauguração da mostra “Joias Açorianas no Museu do Ouro”, em que se fará a apresentação de uma coleção de joias, concebida especialmente pelos designers de joalharia Manuela Ferraz e Carlos Fontes, responsáveis pela criação da marca Flyingfish Jewels, com a qual se pretende valorizar o acervo do Museu de Angra do Heroísmo, transpondo para os metais nobres alguns dos motivos decorativos presentes nas suas peças mais emblemáticas, de modo a dar novas formas e sentidos à sua intemporalidade. Além das quatro peças criadas especialmente para o Museu de Ouro, esta exposição reúne coleções criadas exclusivamente para a Região Autónoma dos Açores e que são, em parte, fruto de várias viagens realizadas pelos seus criadores por todas as ilhas açorianas, desde 2002.

A partir das 20h00, o MAH abre as portas dos seus diferentes núcleos expositivos e também das suas reservas para dar a conhecer a riqueza e pluralidade do seu acervo e algumas das rotinas inerentes à preservação e cuidado do seu espólio. Assim, a par das exposições de longa duração que reúnem as peças mais significativas e de maior valor da instituição de forma a, através delas, propiciar um maior conhecimento da história a da cultura da Ilha e do Arquipélago, são ainda passíveis de ser visitadas as exposições temporárias Museu em arquivo: “70 anos de Imagens”, em que o Museu revisita a sua génese e percurso existencial, e “Sonhos da Matéria”, gravura de Humberto Marçal.

A Igreja de Nossa Senhora da Guia, cuja sacristia foi alvo de obras de requalificação estará também acessível, bem como a Biblioteca do Edifício de São Francisco. Encontrar-se-ão igualmente em regime de livre acesso as Reservas de Espécies em Pedra, Transportes de Tração Animal dos Séculos XVIII e XIX, Instrumentos Musicais, Ciência e Tecnologia, Laboratório Simões Flores, Cerâmica, Falerística, Documentos Gráficos, Têxteis e Pintura. No auditório, será apresentada uma mostra do “Projeto de exumação de uma baleia comum balaenoptera physalus”, que está a ser desenvolvido pelo Museu de Angra do Heroísmo com a colaboração da Universidade dos Açores, da Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, do Observatório do Ambiente dos Açores e da Direção Regional do Ambiente.

Pelas 22h00, o MAH acolhe, no adro da Igreja de Nossa Senhora da Guia, no âmbito da Temporada Artística DRC | 2019, a versão final e completa da opera folk “Rimance de Mateus e a Baleia”, produzida pela Associação Cultural Cães do Mar, que conta com a participação especial da Filarmónica da Sociedade Musical e Recreio da Terra Chã. Trata-se de um espetáculo envolvente e de forte intensidade dramática que evoca a epopeia da baleação e diáspora açorianas no século XIX, através da figura ficcional de um jovem baleeiro picoense, em que se cruzam tanto figuras reais como literárias. A entrada é gratuita.

No mesmo âmbito, o Museu do Pico assinalará sexta-feira, pelas 21h00, o dia internacional com o lançamento do catálogo Museu do Pico – Por Quem Nos Visita, no auditório do Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico. Esta publicação, em complementaridade com outras iniciativas culturais – conferências, seminários, palestras, exposições, concertos e espetáculos de teatro – realizadas ao longo do ano de 2018, constitui o encerramento das Comemorações do 30.º Aniversário do Museu dos Baleeiros (28.08.1988 – 28.08.2018).

Assumindo como pano de fundo o Museu dos Baleeiros, embrião e polo fundador do Museu do Pico, a edição tem uma abrangência tripolar e incorpora o Museu da Indústria Baleeira e o Museu do Vinho, revisitando a instituição como um todo. O Catálogo toma como ponto de partida os milhares de depoimentos manuscritos, nacionais e estrangeiros, registados nos Livros de Visitantes e no Livro de Honra do Museu do Pico. Alguns dos registos foram selecionados e incorporados, numa versão fac-similada, no corpo do Catálogo. A estes elementos estruturantes adicionaram-se textos institucionais, históricos e técnicos, e um conjunto diversificado de imagens – álbum fotográfico – que permite compreender o trajeto e a evolução do Museu do Pico ao longo do tempo.

O evento contará ainda com a apresentação e concerto de estreia da big band da EMMLP (Escola Municipal de Música das Lajes do Pico). Esta orquestra, composta por 20 músicos, sob a direção artística de Leandro Silva, apresentará temas como Rock Around The Clock, Summertime, Hit the Road Jack, entre outros.

Ainda no âmbito da comemoração da Noite Europeia dos Museus, realizar-se-á no dia 21 de maio, no auditório do Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, um concerto pelo grupo musical Duo HF. Surgido em 2004, resultado de uma longa amizade e do gosto pela música, este duo é composto por Herculano Costa, natural da freguesia de São Roque, e Filipe Oliveira, natural da freguesia das Ribeiras, ilha do Pico. Nesta noite serão interpretados temas da música tradicional portuguesa e açoriana. O concerto terá o seu início pelas 21h, com entrada gratuita.

O Dia Internacional dos Museus, anualmente celebrado a 18 de maio, foi criado em 1977 pelo ICOM – Conselho Internacional de Museus, com o objetivo de promover, junto da sociedade, uma reflexão sobre o papel dos Museus no seu desenvolvimento.

A Noite dos Museus é uma iniciativa criada em 2005 pelo Ministério da Cultura e da Comunicação de França. Nesta ocasião, os museus portugueses organizam múltiplas atividades – espetáculos de teatro e dança, concertos, visitas guiadas e encenadas, entre muitas outras, convidando os visitantes a usufruírem, em período noturno, de uma experiência diferente e certamente enriquecedora.

DL/Gacs

Categorias: Cultura, Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*