Avelino Meneses destaca importância das Casas dos Açores

O Secretário Regional da Educação e Cultura salientou a aposta do Governo dos Açores no estabelecimento de maiores elos de ligação com as comunidades da diáspora espalhadas pelo mundo.

Avelino Meneses, que falava na cerimónia comemorativa do 92.º aniversário da Casa dos Açores em Lisboa e de homenagem a Eduíno de Jesus, destacou nesta estratégia a criação do Conselho Mundial das Casas dos Açores e do Conselho da Diáspora.

Nesse sentido, afirmou que o Governo Regional, com a recente criação do Conselho da Diáspora, pretende conferir “maior espaço e protagonismo” às comunidades de Açorianos espalhadas pelo mundo na “definição do destino coletivo dos Açores”.

Para o Secretário Regional da Educação e Cultura, as Casas dos Açores “brotam” da história das ilhas, das correntes migratórias geradas logo após o povoamento, e que foram responsáveis pela transferência da maior comunidade de referência açoriana para o exterior, sobretudo para o Novo Mundo.

Este movimento migratório, que comportou igualmente regressos às ilhas de origem, originou, no entanto, que, ao cabo de cerca de meio milénio, “são muito mais os Açorianos fora dos Açores do que propriamente os residentes no arquipélago”, referiu Avelino Meneses.

Neste contexto, sublinhou o papel da Casa dos Açores em Lisboa, com a denominação original de Grémio dos Açores, na qual Teófilo de Braga, entre outros, se envolveu, como também o agora homenageado Eduíno de Jesus, que esteve na génese das reconhecidas ‘Sextas-Feiras Culturais’.

O Secretário Regional realçou ainda Eduíno de Jesus, que recebeu o diploma de sócio honorário da Casa dos Açores em Lisboa, pelo trabalho desenvolvido nesta instituição, como “um verdadeiro erudito”.

DL/Gacs

Categorias: Comunidades, Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*