Espaço saúde: Rubéola

(c) Direitos reservados

A rubéola é uma infeção viral, que geralmente não é grave, e aparece com maior incidência nas crianças.

Os primeiros sintomas assemelham-se aos da gripe e manifestam-se através de febre, tosse, secreção nasal, dores de garganta, de cabeça e nas articulações, aparecem nódulos linfáticos clinicamente esta situação é designada por adenomegálias. Depois, entre 3 a 5 dias surgem manchas vermelhas pequenas com inicio no rosto e que progridem para o resto do corpo.

É uma infeção muito contagiosa, sendo transmissível pelo ar, através de gotículas ou aerossóis.

A fase de contágio compreende os 7 dias que antecedem o início do surgimento da exantema, (manchinhas na pele) e 7 dias após terem surgido.

O tratamento para rubéola reside no controlo dos sintomas da doença com antipiréticos e analgésicos, para diminuir as dores e a febre, repouso e hidratação. As medidas de prevenção do contagio passam pelo isolamento do doente. As roupas e objetos de uso pessoal devem ser separados até que a febre e as manchas desapareçam.

Rubéola durante a gravidez

Os sintomas da rubéola na grávida e nos bebés que foram contaminados após o nascimento são os mesmos que os descritos anteriormente.  Porém, quando a mãe é infetada durante a gestação, o bebé pode ser gravemente afetado.

Todas as grávidas que tiveram rubéola ou que fizeram a vacina tríplice viral, sem saberem que estavam grávidas, devem realizar os exames indicados pelo médico para verificar a saúde e o desenvolvimento fetal. A exposição ao vírus da rubéola durante a gravidez pode trazer graves consequências para o bebé.

As consequências da rubéola na gravidez estão relacionadas à rubéola congênita, que pode levar ao aborto ou a graves malformações fetais como: surdez, cegueira, catarata, microftalmia, glaucoma e retinopatia problemas cardíacos, lesões do sistema nervoso como meningite crônica, retardo mental microcefalia, púrpura, anemia hemolítica, problemas hepáticos, entre muitas outras.

A prevenção da rubéola é feita através da vacinação.

A vacina protege contra três tipos de doenças, a rubéola, o sarampo e a parotidite mais conhecida por papeira. Esta vacina faz parte do plano nacional de vacinação. As crianças deverão receber duas doses da vacina contra o sarampo, papeira e rubéola, os adultos podem também ser vacinados.

As mulheres em idade fértil que não tenham tido a doença devem estar vacinadas com duas doses da vacina conta a rubéola até, pelo menos 3 meses antes de engravidarem.

Nas mulheres grávidas a vacina está contraindicada.

A prevenção contra esta doença é possível graças á vacinação.

Vacine-se.

Vacine os seus filhos.

Dr. João Martins de Sousa
Delegado de Saúde de Lagoa
(Artigo publicado na edição impressa de fevereiro de 2019)

Categorias: Espaço saúde, Local, Saude

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*