Campeonato Europeu de Patinagem Artística permitiu a injeção direta de mais de 1,3ME na economia açoriana

O Salão Nobre dos Paços do Concelho de Lagoa recebeu a apresentação dos números e impacto económico do Campeonato Europeu de Patinagem Artística, que decorreu entre 31 de agosto e 8 de setembro na Cidade de Lagoa.

Tratou-se de um estudo cuidado e que espelha a realidade do evento, realçou na altura o economista Óscar Rocha, responsável por este estudo.

A análise teve em conta o apurar com rigor o que foi efetivamente injetado na economia açoriana, com dados obtidos junto de várias entidades.

Foram vários os facotes tidos em conta para chegar ao real impacto, nomeadamente os transportes, a alimentação, o alojamento, as despesas da organização e outros, onde, neste caso, estão os possíveis gastos de cada comitiva e/ou acompanhantes.

Segundo o economista, recorreu-se, neste último caso, ao Observatório Regional do Turismo, para chegar aos possíveis gastos de quem não adquiriu o pacote turístico para a prova.

Em números, foi injetado diretamente na economia regional algo como 1,3 milhões de euros, sendo que o número até poderá ter sido ultrapassado, não tendo sido possível apurar com certeza toos os gastos realizados pelos visitantes.

Nos números apresentados neste estudo, só em transportes aéreos foram injetados 289 mil euros, 63 mil euros no transporte terrestre, 237 mil euros em alojamento, e mais de 25 mil e 600 euros em despesas da organização.

Segundo adiantou, tratou-se de 23% a mais do que foi dado pelas entidades públicas de apoio à prova, sendo que a Associação de Patinagem de São Miguel (APSM) recebeu 54 mil euros de apoio, sendo 25 mil da Direção Regional do Turismo, 25 mil da Câmara Municipal de Lagoa e 4 mil da Câmara Municipal de Ponta Delgada.

Recordou na altura o Presidente da APSM que se tratou de um evento histórico, considerado um dos melhores europeus de sempre na modalidade.

José Raimundo não esqueceu o apoio da autarquia lagoense que considerou imprescindível para o sucesso da mesma, e pela promoção que se pretendeu para este evento, tendo destacado igualmente a forma como a própria cidade se preparou para receber este evento, com os comerciante a embelezarem os seus espaços, o que deixou agrado nos participantes.

O momento foi aproveitado para fazer igualmente o balanço do impacto das provas realizadas pela APSM nos últimos três anos, além do Campeonato da Europa em PA deste ano, da realização da Taça de Portugal de Patinagem Artística e do 40º Torneio Inter-Regiões de Hóquei em Patins.

Foram mais de 1800 pessoas que marcaram presença nestas três provas, em 17 dias de competição, com um montante total de injeção direta superior a 1,6 milhões de euros.

O Campeonato Europeu de Patinagem Artística representou mais de 80% do total injetado na economia, prova que teve um custo de 77 mil euros. Em apoios a APSM teve 54 mil euros, tendo tido igualmente o apoio da Federação Portuguesa de Patinagem e o restante foi assumido pela Associação.

José Raimundo ressalvou, contudo, que o investimento feito na prova não coloca em causa o futuro da associação.

Por outro lado, em declarações ao Jornal Diário da Lagoa, a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Cristina Calisto, referiu que quando o município decidiu apoiar este campeonato europeu, estava certo que o retorno deste investimento seria muito maior que a injeção direta de capital na prova. “Agora tivemos a confirmação do que já era esperado, com valores que foram muito elevados evidenciando que foi um bom investimento por parte do município para a realização do Campeonato na Lagoa e de termos sido um dos grandes patrocinadores da mesma”.

DL

Categorias: Desporto, Local