Açores e Canárias reforçam parceria através da literatura e da música

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas afirmou, em Lanzarote, que os Açores, tal como as Canárias, “contribuem pela sua cultura para a identidade europeia”.

Rui Bettencourt, que participava numa conversa literária entre João de Melo e Pilar del Rio, no âmbito das comemorações do Ano Europeu do Património Cultural, sublinhou que ambos os arquipélagos se caracterizam ainda pela sua “tripla condição” de ilhas, territórios da Macaronésia e Regiões Ultraperiféricas da União Europeia, constituindo as Canárias um “importante” parceiro para os Açores, que saiu reforçado da recente Cimeira realizada entre as duas Regiões.

Para o titular da pasta das Relações Externas, que se encontrava acompanhado do conselheiro do Turismo e Cultura e do vice Conselheiro para as Relacões Externas do Governo das Canárias, as iniciativas promovidas pelo Governo dos Açores e que integram as comemorações do Ano Europeu 2018, numa parceria com o Governo das Canárias e a Fundação José Saramago, enquadram-se numa “estratégia de projeção da Região no exterior através da sua cultura”.

Esta iniciativa consistiu numa conversa literária entre João de Melo e Pilar del Rio, que decorreu na Casa José Saramago, abordando as temáticas dos Açores e da insularidade na literatura portuguesa, bem como da ilha na obra de José Saramago, ao que se seguiu um diálogo instrumental entre a viola da terra dos Açores e o timple canarino, pelos músicos Ricardo Melo e Benito Cabrera, de ambos os arquipélagos, encerrando com uma prova de produtos regionais.

Ainda no âmbito do Ano Europeu, Rui Bettencourt participou no encontro “Açores, um lugar de todo o mundo”, que teve lugar na Biblioteca Insular da Lanzarote e reuniu o escritor açoriano João de Melo com alunos do ensino secundário daquela ilha canarina, apelando aos jovens das duas regiões a “darem as mãos para a construção do futuro”.

Na ocasião, o Secretário Regional, na presença do Conselheiro da Educação das Canárias, ofereceu à Biblioteca, na pessoa do seu diretor Fernando Morales, um conjunto de trinta livros de autores e temáticas açorianas à Biblioteca, contribuindo desta forma para a “difusão da literatura açoriana na Macaronésia”, conforme referiu.

O ano de 2018, além de ter sido designado pela Comissão Europeia como Ano Europeu do Património Cultural, é também o ano em que se assinala o vigésimo aniversário em que José Saramago recebeu o Nobel da Literatura e o trigésimo aniversário da primeira edição de Gente Feliz com Lágrimas, que é considerada a obra-prima de João de Melo.

Estas são as primeiras de várias iniciativas que o Governo dos Açores irá desenvolver ao longo de 2018, associando-se ao Ano Europeu do Património Cultural, com iniciativas dentro e fora da Região.

DL/Gacs

Categorias: Cultura, Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*