PSD-Lagoa pretende democracia, mudança e esperança para o concelho

Overview

O candidato do Partido Social Democrata (PSD) à Câmara Municipal de Lagoa, irá dar metade do seu vencimento, para benefício das Instituições do Concelho de Lagoa, caso venha a vencer as eleições autárquicas no próximo dia 1 de outubro.

“Sou um homem simples e do povo, não sou homem de exageros, metade é mais do que justificado”, adiantou Carlos Furtado durante a cerimónia de apresentação da candidatura do PPD/PSD aos órgãos autárquicos de Lagoa, que decorreu esta sexta-feira, dia 1 de setembro, no Cine Teatro Lagoense.

Para além dessa decisão, o candidato do PSD adiantou não necessitar de viatura, nem de condutor oficial durante o seu mandato, acrescentando que é um homem que não precisa de ostentação, referindo-se, nomeadamente, aos carros elétricos e aos seus vistosos “autocolantes”.

O projeto do candidato do PSD para a Lagoa passa pela mudança, acreditando que esta será saudável para o concelho e defende uma melhor qualidade de vida para os lagoenses, referindo que, atualmente, o concelho está “asfixiado” pelo Partido Socialista (PS) que impede a liberdade de expressão e de pensamento dos lagoenses.

“O PS nada tem valorizado, politicamente controla e asfixia”, criticou Carlos Furtado, adiantando que as coletividades do concelho estão sobre o controle do PS.

Por outro lado, o candidato acredita que a Lagoa, é um banco de ensaios daquela que poderá ser a governação socialista nos próximos tempos e que o concelho vive “uma Monarquia Republicana, onde os sucessores dos sucessores, tendem a ser chegados à frente pro poder” e afirma que os lagoenses têm que valorizar a Democracia.

Carlos Augusto Furtado salientou as qualidades da sua equipa, referindo que são pessoas que gostam da sua terra, que sacrificam horas da sua vida para participar neste projeto, demonstrando que são candidatos trabalhadores e de grande valor.

Para os lagoenses, o candidato promete a evolução económica do concelho, principalmente promovendo o trabalho que irá trazer uma maior qualidade de vida.

“O PS não se preocupa com a sociedade doente ou adormecida, gosta apenas do poder e do domínio. Eu não sou homem de promessas, mas as que faço gosto que sejam cumpridas. Trabalho pelas pessoas, em prol das famílias”, defendeu o candidato do PSD, acrescentando que irá apoiar tantos as famílias, como as empresas e Instituições.

Carlos Furtado revelou que, diariamente, os lagoenses queixam-se da desigualdade do concelho, que vivem sem esperança e que, apesar de não ser fácil corrigir esses problemas, tudo fará para resolver os mesmos.

Para o mandatário do PSD-Lagoa, Paulo Borges, existe um grupo de pessoas com vontade, que acredita e quer esta mudança, apesar de muitos se sentirem conformados e pensarem que “já não vale a pena”, esta “equipa jovem e com experiência de vida”, tudo fará para conseguir essa mudança para o concelho.

Paulo Borges salientou algumas qualidades do cabeça de lista do PSD-Lagoa, afirmando ser um homem de poucas palavras, trabalhador e que tem consciência dos problemas da sociedade.

Presente nesta cerimónia de apresentação das listas, esteve o presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, que referiu não ser fácil dar a cara e assumir um partido que não seja o partido do poder.

O presidente social democrata acredita que os lagoenses ficarão a ganhar com Carlos Augusto Furtado, nomeadamente por este ser: empenhado, dinâmico, nunca vira a cara à luta e irá sempre colocar os interesses da Lagoa acima de todos os outros.

Duarte Freitas salientou que é tempo de cortar com os poderes instalados, com interesses difusos e que, neste partido político, existe muita vontade de fazer mais pelos habitantes da Lagoa.

“Na Lagoa convive a riqueza com a pobreza. Ao lado daqueles que têm poder há muitos que não têm que comer”, adiantou o presidente do PSD, referindo que o Partido Social Democrata pretende: democracia, mudança e esperança para a Lagoa.

Segundo Duarte Freitas, os lagoenses não vivem em Democracia, têm medo de falar e de se expressarem livremente. Assim sendo, o presidente do PSD-Açores acredita que a liberdade concedida em abril de 1974 deve ser defendida e valorizada.

No que diz respeito à mudança, para o PSD, esta não deve ser temida, pois as pessoas que pretendem esta mudança são filhos da terra, com provas dadas.

Relativamente à esperança, Duarte Freitas acredita que as pessoas com mais dificuldades podem esperar que dias melhores virão, principalmente com a modernização e qualificação do concelho de Lagoa.

O Partido Social Democrata defende mais liberdade para a Lagoa, menos ostentação na governação do concelho, uma melhor qualidade de vida dos lagoenses nomeadamente com mais emprego e promete mudança e esperança para as pessoas, famílias e empresas com mais dificuldades.

DL/AS

Categorias: Política