Programa Regional de Saúde Oral é exemplo na forma como foi concebido, executado e avaliado

Overview

O Secretário Regional da Saúde destacou o êxito do Programa Regional de Saúde Oral e desafiou os profissionais de Medicina Dentária a ter o mesmo empenho na implementação do Programa de Intervenção no Cancro na Cavidade Oral nos Açores (PICCOA).

“Tem sido preocupação da Secretaria Regional da Saúde a implementação de uma intervenção sistemática a nível da saúde oral” salientou Rui Luís, que falava no âmbito da IX Reunião de Saúde Oral dos Açores, frisando que “o sucesso do PICCOA depende de todos os profissionais de Medicina Dentária”.

O titular da pasta da Saúde referiu-se ao Programa Regional de Saúde Oral como sendo “a face visível” do investimento que tem sido feito nesta área da saúde.

O programa foi criado em 2002 com o objetivo inicial de permitir um melhor acesso aos cuidados de saúde oral por parte das crianças, idosos e grávidas, sendo mais tarde alargado aos doentes crónicos e grupos mais carenciados.

Estão dedicados a este programa 26 médicos dentistas e sete médicos estomatologistas.

No último ano foram realizadas 39 mil consultas nos hospitais e centros de saúde e distribuídos mais 2.800 boletins individuais de saúde oral, número que duplicou em relação a 2015.

“Os estudos começam a dar-nos razão de que vale a pena investir na prevenção”, salientou Rui Luís, numa referência aos resultados obtidos pela Região no 3.º Estudo Nacional de Prevalência de Doenças Orais (2013) e no Estudo do Flúor e da Fluorose Dentária na Região Autónoma dos Açores (2016).

Relativamente ao primeiro estudo, a percentagem de crianças dos seis aos 12 anos livres de cáries situa-se entre 68% e 75%, sendo a melhor taxa do país.

Rui Luís defendeu ainda que o Programa Regional de Saúde Oral deverá servir de balão de ensaio a outros projetos na área da prevenção em saúde.

DL/Gacs

Categorias: Saúde