Governo e Universidade dos Açores desenvolvem estudo para conhecer melhor os movimentos migratórios dos Açorianos para várias partes do mundo

rodrigo-oliveira-reitos-universidade-joao-luis-gaspar-acores-universidade-no-mundo

O Governo Regional celebrou um memorando de entendimento com a Universidade dos Açores com vista à realização de um estudo aprofundado sobre a história da emigração açoriana, um projeto que o Subsecretário Regional da Presidência para as Relações Externas considerou “estruturante para a valorização da diáspora, que também permitirá conhecer melhor os movimentos migratórios dos Açorianos para várias partes do mundo”.

Segundo o Subsecretário Regional para as Relações Externas, o que se pretende, por um lado, é sistematizar o conhecimento existente sobre as comunidades açorianas na América do Norte e no Brasil, mas também promover trabalhos científicos em áreas geográficas menos estudadas, como as Bermudas ou o Havai.

Rodrigo Oliveira frisou ainda que a ‘História da Emigração Açoriana’ permitirá também “conhecer melhor alguns movimentos da emigração açoriana que não são, de todo, conhecidos do público em geral”, como a Argentina, a Venezuela, a Austrália, a República Dominicana ou mesmo as antigas colónias portuguesas em África.

O Subsecretário Regional falava no final da cerimónia de assinatura do memorando de entendimento entre o Governo e a Universidade dos Açores tendo em vista a realização de um estudo sobre a história da emigração açoriana e posterior publicação em livro.

Com esse objetivo foi constituído um grupo de trabalho, que teve domingo e segunda-feira a sua primeira reunião, direcionada para a América do Sul, num encontro que juntou académicos e investigadores do Brasil, do Uruguai e da Universidade dos Açores.

Nos termos deste protocolo, o Governo dos Açores, através da Direção Regional das Comunidades, compromete-se a apoiar a investigação científica, disponibilizando dados e informações, facilitando contactos com a diáspora, com universidades e com instituições, e participando no grupo de trabalho, enquanto a Universidade dos Açores assegura a coordenação científica do estudo e o estabelecimento das parcerias necessárias com outras instituições.

Rodrigo Oliveira destacou o “papel central” da Universidade dos Açores nesta iniciativa, salientando também a projeção internacional que este estudo pode permitir, “pelo potencial que tem de cooperação com instituições, com universidades, com investigadores e estudiosos de todos os territórios que acolhem comunidades açorianas”.

DL/Gacs

Categorias: Comunidades, Educação