Poesia: Uma casa abençoada

Joao Silverio sousa poesia-Jornal-Diario-da-Lagoa

1
Lutando pela vida com ardor
Lá vai o homem no dia a dia
Honesto, sério e trabalhador
Simpático e cheio de alegria.

2
Leva a graça no semblante
Sempre cumprindo o horário
Sabendo que o mais importante
É o lucro do seu salário.

3
Nos seus olhos leva brilhos
No rosto leva um sorriso
Luta para dar aos filhos
Tudo aquilo que é preciso.

4
Que maravilha de amor
Numa alegria de afecto
Quando qualquer trabalhador
Tem o seu emprego certo.

5
Quando o fim do dia se aproxima
Diz consigo cansado estou
Mas levanta os olhos para cima
E diz graças meu Deus te dou.

6
De novo volta ao seu lar
Agora com mais alegria
Para poder descansar
Da grande fadiga do dia.

7
Seus filhos o vão beijar
Também a esposa com certeza
Enquanto prepara o jantar
Para por na sua mesa.

8
Ela o jantar vai servir
Com a maior satisfação
Com seus olhos a sorrir
Dão graças a Deus em oração.

9
Depois da oração feita
Agradeceram alimentação
Todos na mesa respeita
A hora da refeição.

10
Quando termina o jantar
Todos beijam a mãe bela
A seguir vão se sentar
Na sala para ver a novela.

11
Ali está a família unida
Uma família de amor
Gozando uma paz querida
Em casa do trabalhador.

12
Sente se o pai um homem nobre
Com a maior simpatia
Dizendo é uma casa de pobre
Mas vivem com alegria.

13
Tudo isso estou agradado
Diz o homem com gratidão
O meu Deus muito obrigado
Por nunca me faltar o pão.

14
Responde a esposa ao seu lado
Damos graças a Deus sem fim
Se estivesses desempregado
Nós não vivíamos assim.

15
É verdade meu amor
Nisso uma lágrima verteu
Agradeço a nosso Senhor
Pelo o emprego que me deu.

16
Por Deus somos abençoados
Olhando o marido com firmeza
Tantos que estão desempregados
Sem pão para por na mesa.

17
Nisso na porta bateram
De pronto a porta abriram
Venho porque agradeceram
Por tudo o que adquiriram.

18
Quem és tu Senhor
Diz o trabalhador a chorar
Venho enviado do Redentor
Para os vir abençoar.

19
Nós vivemos abençoados
Por Deus com muita alegria
Nossos filhos saciados
Pelo o pão de cada dia.

20
O Anjo as mãos levantou
E disse em nome do Senhor
Assim o Anjo abençoou
A casa do trabalhador.

21
O que a minha alma deseja
Para todos gente amada
Que a tua casa também seja
Por Deus abençoada.

Por: João Silvério Sousa
(Publicado na edição impressa de setembro de 2016).

Categorias: Cultura