Avelino Meneses destaca respostas escolares às atuais exigências da adolescência

Avelino Meneses destaca respostas escolares às atuais exigências da adolescência

Segundo o Secretário Regional da Educação e Cultura a flexibilidade curricular e a diversificação dos percursos escolares podem constituir, dada a heterogeneidade do corpo escolar, respostas às atuais exigências da adolescência.

O Secretário Regional, que presidiu, em representação do Presidente do Governo, à sessão de abertura das X Jornadas da Adolescência, organizadas pela Escola Secundária das Laranjeiras, esta terça-feira, dia 2 de fevereiro, salientou que tal exigência visa corresponder “sempre às expetativas de todos os estudantes sem exceção, condizente com o princípio da escola inclusiva”.

O titular da pasta da Educação, que apontou a adolescência historicamente como “uma invenção da escola”, assinalou as vantagens que, então, no século XIX, se registaram na “subtração dos mais novos ao universo laboral”, para que durante um tempo, “mais ou menos longo”, tivessem uma formação escolar e adquirissem competências que “viessem a constituir a alavanca de desenvolvimento pelo acréscimo da produtividade laboral”.

Avelino Meneses relembrou que a adolescência “é um tempo de mudança”, de afirmação física e intelectual, que requerer acompanhamento da família e da escola para que “seja uma fase de esperança e de otimismo, para que não seja uma fase de frustração e de pessimismo”.

Na sua intervenção, o Secretário Regional salientou ainda o diálogo, a camaradagem e a amizade como “auxiliares indispensáveis de um crescimento saudável entre a fragilidade da criança e a sustentabilidade do adulto”.

DL/Gacs

Categorias: Educação