Brito e Abreu discute com Comissão Europeia financiamento para Ciência nos Açores

Brito Abreu Bruxelas

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou, em Bruxelas, que “nos Açores faz-se Ciência de excelência em várias áreas”, sublinhando que há capacidade instalada para os cientistas açorianos estarem inseridos nas grandes redes europeias.

Fausto Brito e Abreu falava no final de uma reunião com o Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, onde foram abordados vários assuntos de interesse para a Região em Ciência e Tecnologia, nomeadamente a participação dos Açores em programas de financiamento europeus.

Durante o encontro, o Secretário Regional da Ciência e Tecnologia apresentou algumas das principais políticas públicas da Região que estão a ser implementadas nestas áreas, designadamente a Estratégia de Investigação e Inovação para a Especialização Inteligente para os Açores (RIS3).

O recém-criado Gabinete de Projetos Europeus do Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia (FRCT), que está a trabalhar exclusivamente na preparação e elaboração de candidaturas a fundos europeus geridos pela Comissão Europeia, foi outro dos temas da reunião do Secretário Regional do Mar com o Comissário Europeu.

Segundo Brito e Abreu, a estratégia implementada pela Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia pretende que os Açores sejam “uma região de referência para a captação dos fundos disponíveis no Programa-Quadro para a Investigação e Inovação da União Europeia” (Horizonte 2020), permitindo diversificar as fontes de financiamento da Ciência e da Tecnologia dos Açores.

O Secretário Regional teve oportunidade de dar conta de vários projetos europeus que estão neste momento a ser executados pelo FRCT, nomeadamente o NETBiome-CSA, oBiodivERsA3 e o BEST, destacando-se também uma candidatura recentemente submetida na área da Bioeconomia, com o acrónimo de CIRCULO AGRI-NET, que conta com a participação de outros parceiros regionais, nomeadamente a Universidade dos Açores e a Associação Agrícola de São Miguel, e ainda mais 14 parceiros europeus, oriundos de 12 países.

Brito e Abreu adiantou ainda que o FRCT está a trabalhar numa proposta na área de Gestão de Resíduos ligada ao Turismo, num plano de ação na área do Mar, e em dois projetos que serão submetidos no âmbito do Programa Life+, cujos temas são as Alterações Climáticas e a Conservação da Natureza.

DL/Gacs

Categorias: Regional

Deixe o seu comentário

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*