Cursos de Língua Portuguesa para imigrantes facilitam integração na sociedade

Paulo-Teves-comunidades-cursos-linguas

O  Diretor Regional das Comunidades defendeu a importância dos imigrantes aprenderem a língua que se fala nas sociedades que os acolhem, considerando que esse é um “fator determinante” para a sua plena integração nas comunidades onde se encontram radicados, mas também para a participação ativa no seu desenvolvimento.

Paulo Teves recorda que, nos sete cursos realizados em 2013 e 2014, nas ilhas do Faial, São Miguel, Terceira e Flores, participaram “mais de 120 imigrantes de 25 nacionalidades”.

O governante falava na cerimónia de entrega de certificados aos formandos residentes na ilha do Faial que concluíram com aproveitamento o Curso de Língua Portuguesa neste ano letivo, anunciou que vão ser realizados mais três cursos, em 2015/2016, nas ilhas do Pico, Terceira e São Miguel, correspondendo, assim, à “necessidade sentida nestas ilhas pelos imigrantes e pelas organizações que desenvolvam a sua atividade junto deste público-alvo”.

Os três cursos, que terão início este ano, contam com a participação de 35 formandos, provenientes da Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Cabo Verde, Canadá, China, Colômbia, EUA, França, Guiné, Itália, Marrocos, Nigéria, Polonia e Ucrânia.

Os cursos de Língua Portuguesa são promovidos pelo Governo dos Açores, através das direções regionais das Comunidades e da Educação, e destinam-se a cidadãos de nacionalidade estrangeira residentes no arquipélago.

No ano letivo 2014/2015, os cinco cursos que se realizaram foram desenvolvidos pela AIPA – Associação de Imigrantes nos Açores, nas ilhas Terceira e Faial, pela Cresaçor – Centro Comunitário de Apoio ao Imigrante, em São Miguel, e, na ilha das Flores, através da Câmara Municipal das Lajes das Flores.

Os próximos três cursos vão ser desenvolvidos pelo Centro Comunitário de Apoio ao Imigrante, em São Miguel, pela AIPA, na Terceira, e pela Santa Casa da Misericórdia de São Roque do Pico. 

DL/Gacs

Categorias: Comunidades