Apoio à Atividade Artística nos Açores atribui 13 bolsas de micro-financiamento

Valley Dation © António Medeiros

A quarta edição do PARES – Programa de Apoio à Atividade Artística nos Açores, atribuiu 13 bolsas de apoio a projetos nas áreas das artes visuais, artes performativas, cinema, música e formação, anunciou ontem, 17 de fevereiro, a Anda&Fala – Associação Cultural.

No total, serão distribuídos 6.920 euros através de bolsas de micro-financiamento a 13 artistas ou projetos, com um valor mínimo de 250 euros e máximo de 750 euros por candidatura.

A Associação Cultural, em comunicado, revela que face à qualidade das candidaturas submetidas e de forma a reforçar o desígnio do PARES de apoiar o ecossistema criativo local e autonomizar processos criativos, decidiu premiar mais projetos e suportar os valores das bolsas.

O PARES é um programa de apoio à criação que acontece todos anos, aberto a candidaturas em todas as áreas de expressão artística contemporânea – artes visuais, artes performativas, música, literatura e cinema, desde que envolvam atividades nos âmbitos da criação artística, apresentação e circulação de artistas e projetos, dentro ou fora da região dos Açores. Pretende apoiar artistas e agentes naturais e/ou sediados nos Açores e está aberto a pessoas oriundas de outras geografias que elejam o arquipélago para desenvolver os seus projetos.

Os artistas ou projetos selecionados devem concretizar as suas atividades até 31 de janeiro de 2023. Foram selecionados: Alexandre Picanço – MiniWorld; Cara Lavada – Mic on; Carmino Melo – Filarmónica Lealdade Vila Franca do Campo – Workshop; Cristóvão Maçarico – Workshop Fotografia Analógica na Escola Secundária Antero de Quental; Dayana Lucas & Mariana Sales Teixeira – Derivas do Prazer; Escola Novas Rotas – FormArte – Formação Dança Criativa e Teatro na Educação; Filipe Carvalho – Movimento – Oficina Colaborativa de Cinema; Gonçalo Bernardo – Entre 4 ouvidos, estão as flores de parede; Gonçalo Medeiros Borges – Filho da fuga; Inês Brites & Miguel Miguel – Residência Investigativa; Isabel de Medeiros – Memória do Vulcão; Mariana Pacheco de Medeiros – Capuchinho Vermelho; Valdemar Creador – The Valley.

O júri foi constituído pela direção da Anda&Fala, representada por Jesse James, Sofia Carolina Botelho e Luís Brum – artista e arquiteto paisagista.

DL

Categorias: Cultura

Deixe o seu comentário