“Açorianos há milhões de anos”

Telas estão instaladas em seis espaços públicos da cidade Foto DL

São criaturas retratadas ao mais ínfimo pormenor através de macrofotografias captadas pela lente do espanhol Javier Torrent. Estamos a falar de espécies de insetos endémicos dos Açores que estão espalhados por seis telas com quatro metros de largura por três de altura, em diferentes locais da Lagoa. “O objetivo é sensibilizar a população para a importância da conservação da biodiversidade dos Açores e o título remete para os seres vivos que já estavam cá antes de nós e estão seriamente ameaçados”, começa por explicar Susana Cabral ao Diário da Lagoa. A coordenadora do Expolab – Centro de Ciência Viva diz que colocar as obras na fachada de edifícios públicos tem uma justificação: “as pessoas acabam por «tropeçar» na própria exposição questionando o porquê daquelas fotos numa altura em que se anda mais ao ar livre”.

Cada tela apresenta a imagem do inseto acompanhado de uma alcunha inspirada nos cognomes de reis portugueses, das funções que desempenha e do risco de desaparecimento das espécies.

O projeto promovido pelo Expolab é uma iniciativa do Grupo de Biodiversidade dos Açores e da Universidade dos Açores. É financiado pela Direção Regional da Ciência e Tecnologia e teve a colaboração de várias entidades bem como da sociedade civil.

DL

(Artigo publicado na edição impressa de agosto de 2020)

Categorias: Local

Deixe o seu comentário