Abertura de Posto de Atendimento Agrícola na Lagoa é mais que merecido

Foi inaugurado, na freguesia do Cabouco, o Posto de Atendimento Agrícola, numa cerimónia presidida pelo Secretário Regional da Agricultura e Florestas e que contou com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

Este posto está situado num edifício da Junta de Freguesia, onde a Câmara Municipal de Lagoa procedeu às obras de adaptação daquele espaço para acolher o novo serviço que contou com a parceria da Secretaria Regional da Agricultura e Florestas.

Segundo Cristina Calisto, “este Posto de Atendimento Agrícola trará imensos benefícios a todos os agricultores do concelho lagoense, que ficarão abrangidos pelos serviços desta unidade que lhes dará apoio nos diversos processos que envolvem a atividade agrícola”.

Com a inauguração deste novo espaço, sobem para 76 os Postos de Atendimento em toda a região, onde os agricultores podem tratar de toda a sua vida burocrática ligada às suas explorações. Nestes espaços, por ano, são gerados mais de 200 mil movimentos, o que dá nota da importância dos mesmos.

Trata-se de um espaço muito útil aos agricultores, uma ferramenta indispensável na vida dos agricultores, adiantou o Secretário Regional da Agricultura, que falava, ao Jornal Diário da Lagoa, à margem desta inauguração.

Segundo João Ponte, nos últimos dois anos, o governo abriu em São Miguel dois novos postos, nomeadamente nas Sete Cidades e em Santo António-Capelas, tratando-se de dois postos estratégicos, a servir áreas muito importantes do ponto de vista agrícola, seguindo-se agora o posto da Lagoa.

Até aqui, os cerca de 240 produtores do concelho, 60 dos quais de leite, assim como os produtores do Livramento e Santa Bárbara, tinham como referência Vila Franca, Ponta Delgada ou a Associação Agrícola, em Rabo de Peixe, a partir de agora têm a possibilidade de realizar todo o serviço burocrático mais perto, administrando melhor o seu tempo.

João Ponte destacou o facto da Lagoa ter 7.500 animais registados, sendo igualmente um concelho, do ponto de vista agrícola, com um conjunto de equipamentos e infraestruturas, dando o exemplo das três fábricas de ração, uma fabrica de lacticínios, de possuir o maior aviário dos Açores, a maior exploração de leite dos Açores (com uma produção anual na ordem dos três milhões de litros de leite), a segunda maior exploração em termos de animais, e um conjunto de empresas ligadas ao setor. Além disso, a Lagoa tem ainda uma grande tradição na área hortícola e frutícola, dai que se justifica a abertura do posto, que vem facilitar a vida aos agricultores e dar resposta aos desafios diários nas suas responsabilidades com a admiração regional.

Para o Presidente da Associação de Jovens Agricultores Micaelenses, a Lagoa é um concelho virado para a agricultura, tem boas indústrias agroindustriais, sendo que faz todo o sentido ter um Posto Agrícola na Lagoa, até pela questão de proximidade e centralidade

Segundo César Pacheco, que marcou presença nesta inauguração, assim, rapidamente os agricultores podem fazer todo a carga burocrática.

Já para o Presidente da Junta de Freguesia do Cabouco, a freguesia deu mais importante passo com a prestação deste serviço aos agricultores e lavradores. Embora sediado no Cabouco, este novo espaço servirá todo o concelho e freguesias limítrofes.

Segundo Adriano Costa, o poder local tem um papel decisivo no desenvolvimento das localidades, criando e prestando serviços, engrandecendo as instituições, apoiando os munícipes, apenas com um único objetivo, o de proporcionar o bem estar das populações.

Segundo reforçou, o Cabouco é uma freguesia de futuro, e a prova está à vista, sendo que a freguesia tem tido um forte crescimento populacional, possui um robusto tecido empresarial, tem um profundo ele de ligação à agropecuária e goza de boa saúde associativa.

DL/fotos(c)DL/JFC

Categorias: Local

Deixe o seu comentário