135.º Aniversário da Sociedade Filarmónica Estrela D´Alva

Uma Instituição que faz por preservar a Fraternidade, Inclusão, Formação e Promoção do Património cultural, Memória Social e Identidade de um Povo!

António Augusto da Ponte Borges
O Presidente da Assembleia Geral
da Sociedade Filarmónica Estrela D’Alva

As Filarmónicas devem ser vistas predominantemente como Bandas Comunitárias e centros de socialização locais. Interrelacionais, facilmente nelas se podem encontrar sentadas três gerações: avós, filhos e netos; desde há muito que a igualdade de género é seu apanágio, não distinguindo entre homens e mulheres; são centros de acolhimento universais, sempre disponíveis para receber músicos mesmo de fora da sua terra. Finalmente, podem ainda ser vistas como escolas de democracia, já que é essa a sua linha principal de gestão interna. Refletindo a sua longa e importante inserção nas comunidades, as Filarmónicas intervêm nas festas religiosas e seculares, comemorações de dias nacionais e dias da cidade, receções a entidades oficiais e ainda concertos diversos.

Sendo a Lagoa um concelho muito caraterizado pelo associativismo cultural na preservação e divulgação do património artístico e cultural, a comemoração deste Dia não só traz consigo uma profunda tradição musical como pretende incentivar a retoma da atividade das bandas filarmónicas, muito penalizadas pela pandemia do Covid-19.

É sempre uma grande honra, assinalar a passagem de mais um Aniversário, desta Instituição Musical de grande prestígio, que como sabeis possui um legado musical de enorme valor cultural e patrimonial.

Ao longo da sua história, A Sociedade Filarmónica Estrela D´Alva, foi uma autêntica escola de valores, de gerações que ao longo dos seus 135 anos, soube promover a sua cultura na arte Musical, que contribuiu de uma forma inegável para o engrandecimento e valorização do Nosso Concelho da Lagoa, Ilha de São Miguel e dos Açores.

Mais de que uma Filarmónica, uma das imagens de marca da Estrela D’Alva, é ser um centro de excelência de formação para jovens iniciantes, essa mesma formação prima pela sua continuidade ao longo dos anos, fruto disso mesmo são os inúmeros músicos formados por esta Instituição, e que presentemente optaram por incorporar outras Filarmónicas, onde mostra a sua apetência, e deixam bem vincada a sua formação musical, alguns inclusivamente acabam mesmo por chegar a regentes de outras Filarmónicas, onde incutem ou reforçar os valores fundamentais, da importância da formação continua.

É neste contexto que esta Instituição, tem sabido manter as exigências que são obrigatórias para continuar a apresentar um reportório de excelência e de grande reconhecimento quer interno, na nossa ilha, quer no exterior aquando das suas deslocações.

Por isso não poderia deixar passar esta efeméride, sem prestar a minha homenagem à Instituição que me acolheu nos tempos livres da minha mocidade. Tendo sido um pilar fundamental na minha aprendizagem de valores humanos, éticos e culturais para a vida. Muito do que hoje sou devo-o à Estrela D’Alva.

É com muito orgulho que vivo este 135º Aniversário, mesmo com as restrições impostas pela Pandemia da Covid-19 do Covid, a Estrela D’Alva não cruzou braços, a sua escola de formação esteve em pleno funcionamento, com o seu dinâmico e competente Maestro Luís Paulo Costa Moniz, fruto desse competente trabalho, no dia de hoje esta Instituição, apresenta uma Filarmónica rejuvenescida com enorme potencial. Em cinco décadas de ligação à Estrela D’Alva, inicialmente como músico e actualmente como dirigente, é um enorme privilégio e honra constatar o notável percurso desta Instituição, onde imperam valores humanos, profissionais e competência.

Quero aproveitar este momento de jubilo e de alegria para manifestar a minha gratidão a todos aqueles que de uma forma voluntária dão o seu melhor, para a consolidação, desta Instituição e promoção do seu património musical.

É com este regozijo, que felicito os seus órgãos Sociais, na Pessoa do seu Presidente da Direção João Manuel Cabral Arruda, na continuidade deste trabalho de equipa e com o espírito fraterno, que é bastante visível, esta união com a presença de pais e filhos , a dar o seu melhor, que muito aprecio e enobrece os valores humanos, éticos e morais, cada vez mais esquecidos pela sociedade actual.

Este é o prémio mais valioso que a Estrela D’Alva, recebeu no seu 135.º Aniversário.

UM BEM HAJA!

Categorias: Opinião

Deixe o seu comentário